Emanação

Pudesse eu almejar um caminhar presciente.

Que me devolvesse o sono,

me embalasse entre melodias melífluas

e me roubasse o frio.

Por entre madrugadas de cafuné,

amor e divagações de elástico.

Como as horas que em ti nunca me sobram.

Porque a doçura do encantamento e

a puerilidade dos primeiros passos,

nos embriaga de vontades mais espessas.

De anseios insensatos

e de quereres mais urgentes.

Como quando chegas desaforado e te esgotas em mim.

Mas a insónia chega,

arrasta-me pelo caminho do incerto

e eu deixo que ela me afunde,

por entre questionamentos insolúveis,

e lugares lúgubres e vacilantes.

Fecho os olhos e rogo,

vem depressa.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: