Habitáculo

E de repente,

o verão é a única estação do ano.

Mesmo quando a chuva cai

em torrentes apocalípticas,

mesmo quando todos os telhados se fazem brancos,

ou mesmo, quando eu e uma botija de água quente,

nos transformamos num único ser.

Mesmo quando a distância

não se dobra,

e os dias,

correm penosamente longos.

Mesmo quando tudo o que é palpável

parece tão longínquo

e os planos, são só planos.

Listas infindáveis de vontades em papel

e as folhas no calendário estáticas.

Mesmo quando tudo parece em suspenso

mesmo quando vivemos em espera

e o tempo se move a duas velocidades diferentes.

Mesmo assim,

continuas a saber-me a mar.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: